• Foto: James Duncan Davidson (TED)

TEDGlobal 2012: Fale com estranhos!

Se alguém lhe perguntasse quais são as três palavras que resumem sua reputação, o que você diria?

Rachel Botsman começa sua palestra no TEDGlobal 2012 sugerindo à platéia que a resposta dessa questão vai se tornar cada vez mais importante em uma Era em que reputação será o ativo mais valioso de pessoas e organizações.

Ela conta a hisória de Sebastian, um anfitrião no Airbnb (site onde as pessoas alugam quartos vagos em suas casas para turistas). Mais de 50 pessoas já estiveram com Sebastian e seu gato. Squeek, o gato, é importantíssimo na história de Sebastian no Airbnb. Pois foi graças ao gato que o primeiro hóspede deixou de fazer comentários negativos no site, após ver um rato na casa.

A ideia de alugar um cômodo de casa era impensável para a maioria das pessoas há alguns anos atrás. E continua sendo estranha para muitos. A diferença é que agora há um anfitrião Airbnb em praticamente todas as ruas de Paris.

Através de sites como esse as pessoas estão se tornando microempresários. Encontram uma forma de negócio que não existia até pouco tempo. O mais incrível disso, é a forma como elas conseguem conquistar a confiança de estranhos através da tecnologia. Uma curiosidade: durante os recentes tumultos em Londres, Sebastian recebeu vários telefonemas e e-mails de clientes anteriores querendo saber se ele estava bem. Treze deles chegaram antes até do telefonema de sua mãe.

É por exemplos como esse que Rachel diz acreditar no poder do consumo colaborativo. E por isso quer fazer dele um movimento global. Para ela, na essência, trata-se de um movimento de empoderamento. Empoderar as pessoas para fazer conexões significativas. E assim elas vão acabar descobrindo, ou melhor, redescobrindo uma humanidade que ficou perdida no meio do caminho. Um movimento que tem levado as pessoas a um comportamento natural, mas que esteve abafado nos últimos tempos: o compartilhamento.

Como exemplo ela cita o Taskrabbit. Um site em que as pessoas publicam as tarefas que querem ‘terceirizar’ e quanto estão dispostas a pagar. Em seguida outros usuários fazem ofertas para executar a tarefa proposta. A tarefa mais requisitada? Montar móveis da IKEA. Um ex-comprador de arte, após perder o emprego, começou a atender essas demandas no site. Hoje ganha algo em torno de 5 mil dólares/mês.

Nossa confiança em outras pessoas no meio digital está crescendo. Mas a reflexão que Rachel levanta é: como fazer com que ela funcione de forma semelhante à confiança construida com pessoas que lidamos face-a-face?

Aí é que entra a reputação. No site Taskrabbit as pessoas que executam as tarefas recebem uma classificação. Isso não é novo, outros sites tem mecanismo semelhante. Mas o grande próximo desafio vai ser agrupar a classificação que as pessoas recebem em diversos sites, e formar uma única reputação digital. Ela sugere algo que funcione como um Facebook da reputação. Pode soar assustador num primeiro momento, mas as nossas informações já estão circulando por aí. Então, se pudermos agrupá-las, poderemos também controlá-las melhor.

Quando isso começar a acontecer, vamos ver até empresas contratando com base na reputação. Algo que hoje já tem acontecido de maneira informal. Um exemplo citado pela palestrante é o StackOverflow (site de perguntas e respostas sobre tecnologia). Os proprietários do site começaram a perceber há algum tempo que os usuários estavam colocando seus pontos de reputação do site no alto de seus currículos. E ainda, que recrutadores de empresas estavam fazendo pesquisas no site, em busca de talentos.

Esse exemplo apenas confirma o quanto a reputação é mesmo um dado valioso, pois revela como a pessoa se comporta e o que seus pares pensam dela.

Para encerrar, Rachel Botsman diz que acredita que “estamos no início de uma revolução colaborativa, que será tão significativa quanto a revolução industrial”.

Alguém tem alguma dúvida de que ela pode estar certa?

Extra: O TED criou um experimento online para incentivar as pessoas a conversar com estranhos. Assista ao vídeo abaixo e faça um teste aqui.


Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>