• ap_520407015

Precisa fazer um exame? Basta engolir uma pílula

Entre os tipos de câncer,  o de cólon e de reto é o terceiro mais comum entre os homens. Na população feminina, é o segundo mais registrado. O grande problema é que mais da metade dos casos são descobertos em estágios desenvolvidos. Além da dificuldade de acesso à medicina preventiva, alguns exames são extremamente desconfortáveis para o paciente, como é o caso da colonoscopia, que ajuda a detectar o câncer de cólon e reto. A boa notícia vem de um engenheiro biomédico, chamado Yoav Kimchy, que vem desenvolvendo uma pílula com um pequeno sensor que funciona como uma máquina de raio-x.

Funciona assim: o paciente engole o comprimido que, ao chegar ao cólon, começa a emitir um sinal em todas as direções para mapear todo o interior do cólon e reto. Ao mesmo tempo, o comprimido envia dados para um adesivo colocado por cima da pele que rastreia o seu movimento no interior do corpo e envia imagens 3D para o médico. Segundo os pesquisadores, a radiação da pílula se assemelha às máquinas de raio-x de aeroportos ou a uma radiografia convencional do tórax. Não há com o que se preocupar.

A vantagem principal dessa inovação é realizar exames de forma menos invasiva para o paciente. Além disso, os médicos têm mais dados para diagnosticar ao conseguir “enxergar o interior” do paciente. E ainda estima-se que o procedimento será mais barato que a colonoscopia tradicional. Pronto! Agora você pode engolir seco.
Confira como tudo funciona neste vídeo ilustrativo:

E o que fazer com a pílula depois de tudo isso? Como você pode imaginar, ela será expelida naturalmente pelo corpo. Por ser descartável, o paciente não precisa se preocupar nem com o entupimento do vaso sanitário.

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>