• sweetie capa

Luta contra a pedofilia faz uso de inovação e tecnologia

A ideia de criar um personagem virtual, que simula a conversa com uma garota de 10 anos, ajuda a identificar pedófilos que fazem turismo sexual online

Estima-se que há mais de 750 mil pessoas dispostas a abusar de crianças pela webcam conectadas na internet enquanto você lê este artigo. Dessa estatística que acumula inúmeros acusados, apenas 6 homens foram condenados pelo crime até hoje. Só nas Filipinas, milhares de crianças são vítimas de turismo sexual virtual, muitas vezes estimuladas por seus próprios pais em troca de dinheiro. Diante deste cenário aterrorizante, a ONG holandesa Terre des Hommes desenvolveu uma garotinha virtual 3D para aparecer na webcam desses predadores enquanto adultos reais coletam dados sobre eles para que possam ser identificados e presos.

Em apenas 10 semanas de trabalho da ONG fingindo ser uma criança, 20.172 homens de 71 países cometeram crimes sexuais ao solicitar perfomances sexuais pagas para os pesquisadores (que eles pensavam ser Sweetie, filipina, 10 anos). Mil deles foram identificados e um deles foi condenado por pedofilia este mês.

Scott Robert Hansen foi sentenciado com 2 anos de prisão, mas não deve ir para a cadeia por já ter passado 8 meses enclausurado – sua pena deve se reduzir a 12 meses de ordem corretiva e participação em programa de tratamento para ofensores sexuais.

A identidade dos outras pessoas que foram descobertas através do programa da ONG foi enviada aos países onde residem, 110 deles no Reino Unido, mas o processo ainda está em andamento.

Veja Sweetie em ação na luta contra o abuso infantil:

Existem outras ideias que combatem a pedofilia de forma inovadora. Enquanto a ONG Terre des Hommes tem o foco no combate aos pedófilos, o Projeto Vic, de atuação internacional, tem foco nas vítimas. Ele é essencialmente uma base de dados na nuvem com um sistema efetivo de identificação de fotos que as classifica a partir de imagens apreendidas de pornografia infantil.

O objetivo é ajudar a polícia a encontrar as crianças abusadas e oferecer o auxílio necessário. Essa base de dados é alimentada por imagens capturadas em batidas policias às casas de pedófilos e em sites que exibem pornografia infantil e estão disponíveis para os órgãos de combate ao abuso de crianças nos 7 países que participam hoje do projeto.

Ao apreender um computador ou tirar um site do ar, a polícia tem nas mãos milhões de imagens de crianças que precisam ser categorizadas e identificadas – muitas são repetidas ou variações de qualidade diferente. São tantas que uma investigação sozinha não consegue sequer abrir todos os arquivos. Com a base de dados, as fotos podem ser organizadas em um sistema que elimina as que são similares e ajuda a identificar os menores de idade. Pelo sistema do Projecto Vic, cerca de 85% das imagens são eliminadas por serem variações de 15% da base de dados – uma quantidade ainda grande, mas já mais fácil de lidar e identificar as crianças abusadas. Os métodos do projeto já ajudaram a encontrar mais de 100 vítimas nos Estados Unidos.

Quer ajudar a diminuir o problema da pedofilia? Assine a petição da ONG Terre des Hommes que pede pela condenação dos homens identificados por Sweetie e ajude a combater o abuso infantil: http://avaaz.org/en/wcst/

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>