• foto jovens com smartphone em show
  • foto redes sociais
  • foto idiomas
  • foto internet for all

Insight Da Vinci: “Quem são esses jovens?” – Parte I: Tecnologia

A Telefônica em parceria com o Financial Times patrocinou o maior e mais amplo estudo global sobre jovens entre 18 e 30 anos feito até hoje. Foram 12 mil jovens entrevistados, em 27 países nos 6 continentes. Com dados tão preciosos em mãos, resolvemos fazer uma série especial, olhando especialmente para os resultados apresentados pelos jovens latinoamericanos nas 4 áreas abordadas pelo estudo. A primeira área, que também é a primeira parte da nossa série, tema desse post, é a relação do jovem com a tecnologia.

Nos shows o smartphone substitiui o olho, a mão e o isqueiro. Alguma dúvida de que os smarthpones não saem das mãos deles? 68% dos jovens latinoamericanos possui o brinquedinho. A média mundial é 76%. Eles passam 7 horas por dia conectados, uma hora a mais do que a média do mundo.

Alô jornal, eles não te escutam mais. Os jovens latinos dessa geração (Y ou Millenials) usam a internet como principal fonte de informação (45%). A média mundial é a mesma.

Poliglotas tecnológicos. 91% desses jovens acredita que a tecnologia torna as barreiras de linguagem mais fáceis de serem superadas. Uma visão mais otimista que o resto do mundo, porque a média global ficou em 87%.

Tecnologia significa oportunidade. 74% acredita que a tecnologia cria mais oportunidades para todos, contra 26% que acredita que as oportunidades surgem apenas para uma minoria. A média mundial ficou em 69%. Curiosidade: Venezuela com 88% e colômbia com 81% são os países mais otimistas nesse quesito.

Conseguir um emprego também ficou mais fácil, graças à tecnologia. Pelo menos é o que 85% dos jovens latioamericanos acreditam.que a tecnologia tornou mais fácil conseguir um emprego. A média mundial segue um pouco abaixo, com 83%.

O pobre está ficando mais rico ou o rico está ficando mais pobre? 53% acredita que a tecnologia diminuiu a distância entre ricos e pobres. Mas curiosamente, no Brasil, onde acontece o fenômeno da classe emergente, os jovens pensam um pouco diferente. 57% acredita que a tecnologia aumentou essa distância. Os brasileiros estão mais alinhados com o resto do mundo, já que a média global ficou em 62%.

Early adopters eles são mesmo, disso ninguém duvida. 89% dos homens e 83% das mulheres acreditam que estão na vanguarda da tecnologia. A média mundial ficou com 80% entre os homens e 69% entre as mulheres.

Influência para a vida. Perguntados sobre quais são os três itens mais influentes em moldar a visão da vida, 44% dos homens e 22% das mulhres coloca a tecnologia entre os três. Dentre os homens a tecnologia fica atrás de família e escola, empata com amigos e segue à frente de economia e religião.
Já com as mulhres, a tecnologia está com menos poder. Entre elas a tecnologia fica empatada em último lugar com economia. Família, escola, amigos e religião seguem à frente. A média do mundo é 39% dos homens e 22% das mulheres que colocaram a tecnologia entre os 3 itens mais influentes.

Pensando no futuro. 44% dos homens e 25% das mulheres acreditam que a tecnologia é o campo de estudo mais importante para garantir o sucesso futuro. A tecnologia vence campos como economia, linguas estrangeiras, ciências, matemática e literatura.

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>